quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Software Educacional

Software Educacional para o Ensino de      Flexão de Viga



Para os estudantes que pagam a disciplina de Resistência dos Materiais existe um software chamado de FlexVig 1.0, o qual foi criado por Gilmar da Silva Oliveira do Centro de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual da Paraíba-UEPB. O software nos ajudar a compreender a flexão em vigas, calculando o momento fletor e o esforço cortante. Interessante destacar que o programa é muito simples de baixar, instalar e utilizar, pois possui uma linguagem de fácil compreensão, clareza de conteúdos, praticidade e os dados obtidos das questões podem ser facilmente salvos em formato pdf.
Para instalar o software em seu computador é necessário ter já instalado o java.
Acesso o seguinte link:    https://sites.google.com/site/flexvig/home   ; e 
obtenha o programa gratuitamente.






sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Encerramento do I EREIPA



Com amor, o evento EREIPA se encerrou

A última mesa-redonda (A Educação Popular em Saúde: trajetórias e desafios) do EREIPA contagiou o público com reflexões sobre educação popular. A Profº Kátia Suely falou sobre seu projeto de extensão em fisioterapia que atua nas comunidades na cidade de João Pessoa. Ela traçou um histórico do projeto e destacou suas principais evoluções e mudanças, dentre elas a visão de preservação das pessoas assistidas e suas reabilitações, além da aproximação dos estudantes com os sujeitos, mudando suas concepções das práticas de saúde, relações pessoais e adequação ao contexto local. O projeto intitulado "Educação Popular e a Atenção à Saúde da Família", busca conhecer as raízes dos problemas de saúde de determinada comunidade, conhecer as formas que as pessoas elaboram estratégias para enfrentarem os problemas de saúde, e executa uma educação dialógica, respeitando os saberes dos sujeitos. Para a professora, foi um processo de aprendizagem sua relação com a realidade deles. A partir do reconhecimento das habilidades e capacidades dos sujeitos da comunidade, a troca de saberes é desenvolvida.

O segundo expositor foi o Profº Eymard Mourão, que trouxe uma reflexão da educação popular através do significado do 'amor'. A paixão pelo trabalho social promove um melhor desempenho das atividades e maiores resultados. Durante a exposição ele citou vários filósofos que discutiam sobre o amor, citando  o tratado do amor de Platão.

A terceira expositora, Profª Maria Francilene Leite, discorreu sobre sua experiência na extensão em educação popular, quando participou do projeto "Educação Popular e a Atenção à Saúde da Família" em 2010. Para ela, as visitas às casas não eram apenas para tratar de saúde, "mas ajudar àquela comunidade no sentido de ouvir suas necessidades, problemas, respeito, havia uma aproximação entre nós", disse.

Ao abrir espaço para o público, muitos estudantes reafirmaram sua paixão em fazer parte de um projeto de extensão e ressaltarão que para realizar o trabalho é preciso amor. O evento encerrou com o lançamento de um livro digital construído com artigos do grupo Pet Conexões de Saberes, do PIATI. 
                                                            
                                                                      


Mariana Pimentel
Estudante de Jornalismo e Letras
@Mari_Pimentel_
Cel.: (083)8732-6705
e-mail: ramospimentel@gmail.com

Abertura do I EREIPA


“I Encontro Regional de Educação Popular, Intergeracional, Patrimonial e Ambiental: Reflexões Transdisciplinares”


Após meses sem postar, saúdo os internautas e trago nessa  Publicação de hoje um apanhado geral do que vem sendo discutido desde ontem (10/12/2012) e hoje no evento realizado pelas Universidade Federal de Campina Grande e Universidade Estadual da Paraíba, intitulado “I Encontro Regional de Educação Popular, Intergeracional, Patrimonial e Ambiental: Reflexões Transdisciplinares”. Acho relevante publicar algo sobre o evento, pois trata-se de um campo transdisciplinar que não deixa de envolver o ensino.

O evento que tem como objetivo reunir docentes e alunos do meio acadêmico-científico, além dos atores sociais das diversas faixas etária para colocar em discussão experiências de pesquisa e extensão, além de histórias de vida relacionadas aos campos dos saberes da Educação Popular, Intergeracional e Patrimonial numa perspectiva transdisciplinar.

No primeiro dia, tivemos uma mesa-redonda que destacou experiências nos campos da Cultura Popular, Educação Ambiental e Educação Patrimonial. Um dos expositores que tratou da cultura popular, o Prof. Dr. Francisco de Assis, destacou um pensador que diz “a cabeça pensa a partir de onde os pés pisam. Para compreender, é essencial conhecer o lugar social de quem olha" (Leonardo Boff).

No segundo dia tivemos duas mesas. 

1ª Mesa:
A primeira mesa contou com a participação do professor Dr. Luiz Custódio, com uma discussão na área do jornalismo. Nomes como José Marques de Melo e Luiz Beltrão, importantes na comunicação por suas influências e contribuições na área de Folkcomunicação, foram citados. O grande destaque mostrado foi o jornalista e escritor brasileiro, Alberto Dines. A partir de suas experiências e seu olhar crítico da mídia, Alberto Dines contribuiu para o desenvolvimento de estudos avançados em jornalismo, avaliações críticas dos jornais e da mídia, recuperando conceitos da Escola de Frankfurt e os aplicando à imprensa hoje.

O segundo expositor foi o Prof. Dr. Manoel Freire, o qual apresentou o projeto criado na Universidade Estadual da Paraíba que é a UAMA - Universidade Aberta à Maturidade. Ele explicou que o projeto foi uma adaptação àquilo que já existia na Espanha, época que estudou lá, porém com aspectos da realidade local. O objetivo é mudar a qualidade de vida dos idosos. Qualquer idoso pode participar, basta ter mais de 60 anos. Os conteúdos trabalhados envolvem: saúde e qualidade de vida; educação e cidadania; cultura e lazer; cultura e sociedade. Para o professor, a população idosa está aumentando, enquanto que os jovens estão morrendo mais.

O terceiro expositor foi o  Dr. William Alves, o qual lidera o projeto odontogeriatria e atua com bolsistas no Centro de Convivência do Idoso, da secretaria municipal de assistência social de Campina Grande. Para ele, trabalhar com idosos é mais prazeroso e traz alegria, mais vontade de viver, pois eles transmitem uma energia boa.  

A quarta expositora foi a Profa. Dra. Silêde Leila,  falando sobre o direito à memória e a ressignificação de termos e conceitos tradicionais que preconizam ou negativizam os espaços que abrigam os idosos. Os abrigos são espaços onde os idosos reassumem suas atividades sociais, aprendem novos exercícios físicos, mentais e manuais, se mantendo ativos.

Por fim, a quinta e última expositora Profa. Márcia Adelino discutiu um pouco sobre educação popular como uma construção de referencial para cidadania. Para ela, a educação popular é deixar que as pessoas falem e não apenas levar o conhecimento à população. "Eu preciso ouvir para reconstruir", disse. Segundo Márcia, Paulo Freire diz que há uma invasão cultural quando levamos o conhecimento e o depositamos em um lugar, sem absorver/ouvir o que as pessoas do local tem a nos oferecer.

2ª Mesa:
A segunda mesa iniciou-se com a Profa. Dra. Mª Lindaci Gomes, relatando experiências em comunidades quilombolas sobre memórias e práticas culturais. A professora começa elencando quatro modelos de velhice: a da repulsão que excluem os idosos da sociedade; a dos serviços sociais e entretenimento; a da participação, em que os idosos assumem novos papéis; e, a da autorealização, na qual os idosos, a partir de suas experiências de vida, crescem e desenvolvem criatividades. É nesse último modelo que a experiência foi embasada na comunidade, trabalhando-se com idosos quilombolas. Ela destaca que dois tipos de memória fazem parte dessa comunidade: a memória remanescente, em que os  mais velhos não reconhecem suas identidades, se dizem mulatos e não negros, além de suas resistências quanto ao fato de aceitarem ser quilombolas; e a memória ressignificada ou ressurgente, em que os mais jovens reconhecem suas origens e aceitam suas identidades. Ao final, a professora fala sobre práticas de cura narradas por mulheres dessa comunidade, assumindo o papel de medicina alternativa, através de garrafadas e rezas que curam, por exemplo.

A segunda expositora, Profa. Dra.  Mércia Rejane, fez um apanhado de conceitos antropológicos sobre a concepção de quilombo e suas ressiginificações. Através de suas experiências na comunidade dos grilos, ela delineou as memórias que resgatou desses quilombolas. O tema memórias também foi elucidado pelo terceiro expositor,  o Profº Dr. José Gabriel, em que através de um programa desenvolvido na universidade que tenta estabelecer o lugar para a memória, explana sua experiência sobre as memórias dos Potiguares. Para ele, precisamos desafiar e refletir sobre as práticas de memória e diversidade no nosso cotidiano. 

Por fim, a última expositora, Profa. Dra.  Patrícia Aragão, finaliza a mesa tratando do diálogo intergeracional, cultural e educacional nos quilombos que geram uma cidadania cultural.


O evento segue até amanhã com grupos de trabalhos e mesas redondas. A programação pode ser acessada através do site: http://ereipa.wix.com/ereipa


Mariana Pimentel
Estudante de Jornalismo e Letras
@Mari_Pimentel_
Cel.: (083)8732-6705
e-mail: ramospimentel@gmail.com

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

I EREIPA





O “I Encontro Regional de Educação Popular, Intergeracional, Patrimonial e Ambiental: Reflexões Transdisciplinares” promovido pela Universidade Estadual da Paraiba e Universidade Federal de Campina Grande objetiva reunir docentes e discentes envolvidos em pesquisas do meio acadêmico-científico, assim como os protagonistas das diferentes faixas etárias (crianças, jovens, adultos e idosos), com a finalidade de socializar as experiências de pesquisa e extensão, além de contadores de histórias de vida relacionadas aos campos dos saberes da Educação popular, Intergeracional e Patrimonial numa perspectiva transdisciplinar. O evento ocorrerá nos dias 10, 11 e 12 de dezembro de 2012, tendo sua abertura no Auditório do DCE (UFCG). A grandiosidade e diversidade das temáticas que serão abordadas no evento convergem para o reconhecimento e discussões acerca das experiências surgidas pelas práticas da pesquisa e da extensão, incluindo o tangenciamento das questões das vivências produzidas pelas intervenções do PET – Educação – Conexões de Saberes no bairro das Malvinas. Nessa oportunidade, o grupo PET estará lançando um livro destacando as ricas contribuições na humanização curricular dos seus alunos integrantes do Programa e as trocas e diálogos entre os saberes acadêmicos e os saberes populares. 


VERIFIQUE A PROGRAMAÇÃO COMPLETA EVENTO EM




EQUIPE DE APOIO 

PROGRAMA DE APOIO À TERCEIRA IDADE – PIATI/UFCG
PET – EDUCAÇÃO – CONEXÕES DE SABERES/ UFCG​

COMISSÃO GERAL
Profa. Dra. Mª Lindaci Gomes de Souza
(UEPB)
Profa. Dra. Keila Queiroz e Silva
(PET/PIATI/UFCG-Unidade Academica de Educação)
Profa. Dra. Zélia Maria de Arruda Santiago
(UEPB/PIATI/UFCG)
Profa. Dra. Patrícia Cristina Araújo de Aragão
(UEPB)





 



​


quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Grupecj comemora 10 anos e realiza seminário “Diálogos sobre Pesquisa em Mídia e Cotidiano”


Com foco nos estudos e pesquisas sobre as interfaces entre o cotidiano e o jornalismo, o Grupo de Pesquisa sobre o Cotidiano e o Jornalismo da Universidade Federal da Paraíba (GRUPECJ)  comemora 10 anos de fundação com a realização do seminário “Diálogos sobre Pesquisa em Mídia e Cotidiano”. O evento acontece nos dias 03, 04 e 05 de outubro, no auditório 412 do Centro de Ciência Humanas Letras e Artes (CCHLA) da UFPB, com programação nos dois turnos.
No primeiro dia, a programação abre às 14h com exibição de um documentário sobre os 10 anos do Grupo e fala do Prof. Dr. Wellington Pereira, coordenador do Grupecj, e do Prof. Dr. Henrique Magalhães, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFPB, além de lançamento de livros.
No dia 04, o evento começa às 9h com palestra do professor Luís Martins, da Universidade de Brasília (UnB), sobre ‘Imprensa, cidadania e cotidiano’. Às 14h, os comunicadores Daniel Abath, Geanne Batista e Patrícia Monteiro participam da mesa redonda sobre ‘Metodologias de pesquisa em Mídia e Cotidiano’.
Na sexta-feira pela manhã, a professora Cristiane Freitas, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), profere palestra sobre ‘Interações metodológicas em pesquisas sobre o cotidiano: cinema, imaginário e cultura’. Às 14h, o seminário entrega o Prêmio de Incentivo à Pesquisa no Nordeste, com homenagem ao professor Luís Custódio, da Universidade Estadual da Paraíba.
Criado em março de 2002 pelo professor Wellington Pereira, em uma década o Grupecj conta com oito livros lançados e credibilidade e reconhecimento que lhe renderam alguns prêmios, entre eles: o Rumos Itaú Jornalismo Cultural (2007/2008) e o Luiz Beltrão de Ciências da Comunicação (2008). O Grupo é composto por olhares múltiplos que revelam o cotidiano como espaço de referência para (re) construção e (re) leituras de diversos objetos com interface mídia e cotidiano.
As inscrições são gratuitas e estão abertas até dia 01 de outubro no link http://migre.me/aMlgf
PROGRAMAÇÃO
Quarta-feira    03/10
14h -  Abertura
  • Exibição do Documentário sobre os 10 anos do Grupecj
  • Mesa com o Prof. Dr. Wellington Pereira (coordenador do Grupecj) e o Prof. Dr. Henrique Magalhães (coordenador do PPGC-UFPB).
  • Lançamento de livros
Quinta-feira   04/10
9h -  Palestra com o Prof. Dr. Luís Martins (UNB)
Tema: Imprensa, cidadania e cotidiano
14h -  Mesas redondas
Tema: Metodologias de pesquisa em mídia e cotidiano
Participantes: Daniel Abath, Geanne Batista, Patrícia Monteiro e Sérgio Melquior
 Sexta-feira   05/10
9h -  Palestra com a Prof.ª Drª. Cristiane Freitas (PUCRS)
Tema: Interações metodológicas em pesquisas sobre o cotidiano: cinema, imaginário e cultura
14h – Prêmio de Incentivo à Pesquisa no Nordeste
  • Homenagem ao professor Luís Custódio (UEPB)

Mini-currículo dos palestrantes:
Cristiane Freitas Gutfreind é doutora em Sociologia pela Universidade de Paris 5 (Sorbonne), professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação e coordenadora do departamento de Ciências da Comunicação da PUCRS, pesquisadora do CNPq e editora da Revista Famecos. Membro da Association Française des Enseignants et Chercheurs du Cinéma et de l’Audiovisuel. Possui vários artigos publicados em revistas científicas sobre Teorias do Cinema, História e Comunicação.
Luiz Martins da Silva é doutor em Sociologia pela UnB/ Universidade de Nova Lisboa. Coordenador do projeto de extensão SOS-Imprensa. Integra a Linha de Pesquisa Jornalismo e Sociedade na UNB com o projeto A Ideia do Pós-jornalismo (Bolsa PQ-CNPq). Atua nas áreas de Comunicação e Mobilização Social, Comunicação Pública, Jornalismo Público e Leitura Crítica da Mídia.

Congresso de Antropologia em João Pessoa


II Semana de Antropologia PPGA/UFPB: Ética Antropológica em Debate
Data: 27 e 30 de novembro de 2012
Local: João Pessoa/PB

Ideias fofas para montar sua biblioteca em casa!


Inspire-se e deixe seu cantinho de livros ainda mais gostoso!
Quem ama ler também costuma ter muito carinho com seus livros. Então por que não guardá-los num cantinho superfofo e bem especial? Inspire-se com essas ideias de decoração e deixe ainda mais gotoso o seu momento de leitura! Ah, quem tiver dicas legais de livros que está lendo, conta pra gente nos comentários! *-*
Desligue a TV e vá ler um livro!
Aproveite caixas, cestos ou até eletrodomésticos antigos que você não usa mais para guardar seus livros. Incrível essa ideia de montar uma pequena biblioteca dentro de uma TV antiga, não acham?!
+ fotos
  • Desligue a TV e vá ler um livro!
  • Livros encapados com tecido
  • Estante de árvore
  • Estante do Pacman
  • Estante do Mario
  • READ!
  • Estantes diferentes
  • Estante branca
  • Livros em armários
  • Cantinho do livro
  • Aproveite o espaço!
  • Organize
  • Livros + decoração = <3
  • Marca página fofo
+ fotos

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Aulas da UFCG devem ser retomadas no dia 24, diz sindicato


Calendário segue indefinido e será discutido a partir da segunda-feira (17).
Decisão saiu em assembleia realizada na manhã desta quarta (12).

Do G1 PB
4 comentários
Os docentes da UFCG decidiram, em assembleia na manhã desta quarta-feira (12), suspender a greve a partir da próxima segunda-feira (17) e retomar as aulas no dia 24. O espaço de tempo de uma semana entre o fim da greve e o reinício das aula se deve aos encontros que os professores terão com as pró-reitorias para definir o novo calendário de aulas pós-greve. De acordo com a assessoria da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Campina Grande (AdufCG), a ampla maioria dos professores votou a favor da suspensão, com apenas 20 votos contrários ao fim da greve.
Diante da aprovação, a AdufCG enviará ao Comando Nacional de Greve dos docentes de universidades federais, o indicativo de suspensão unificada da greve. De acordo com a assessoria da AdufCG, a intenção dos docentes da universidade é de que a greve seja terminada de maneira conjunta, da mesma forma como a paralisação nacional foi iniciada. O calendário letivo da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) referente aos semestres de 2012, bem como como a divulgação das notas do 1° semestres e as matrículas do 2°, só serão definidas após a reunião da Câmara de Ensino Superior da UFCG.
Apesar do fim da greve, os docentes da UFCG afirmaram que a pressão para que as reinvidicações que motivaram a paralisação continuará sendo exercida. Conforme a AdufCG, os professores continuarão realizando assembleias para discutir os dois principais pontos da mobilização: a reestruturação da carreira e a melhoria das condições de trabalho. Segundo os docentes, assembleias serão realizadas em todos os campi com o objetivo manter a mobilização ativa para que o governo volte a discutir com a classe.

Os professores da Universidade Federal de Campina Grande estavam em greve há mais de 115 dias, paralisação que deixou cerca de 25 mil alunos sem aulas. Mesmo com o calendário indefinido, a Reitoria adiantou que o período 2012.2 deve se estender pelos primeiros meses de 2013. O processo seletivo da UFCG não deve ser afetado, visto que a universidade usa o desempenho do candidato no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como parâmetro para aprovação. As provas do Enem estão previstas para serem realizadas nos dias 3 e 4 de novembro de 2012.

Para ler mais notícias do G1 Paraíba, clique em g1.globo.com/paraiba. Siga também o G1 Paraíba no Twitter e por RSS.

IFPE aumenta as vagas em 72% e unifica o vestibular 2013


Outra novidade será a criação de cotas para para moradores da zona rural.
De 24 a 26 de setembro começa o período para pedido de isenções.

Do G1 PE
Comente agora

Em 2013, o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) aumentará em 72% o número de vagas para os candidatos e unificará o vestibular. Ao todo, serão oferecidas 6.178 vagas (6.842 com o SiSU - Sistema de Seleção Unificada), distribuídas em nove campi, além dos polos de educação a distância. O anúncio das novidades para o processo seletivo deste ano foi feito na manhã desta sexta-feira (14), na sala de conselho da instituição, na Cidade Universitária, zona norte do Recife.
Outra novidade será a criação de cotas para para moradores da zona rural. A nova cota beneficiará estudantes de Afogados da Ingazeira, Barreiros, Belo Jardim e Vitória de Santo Antão. Em 2013, o IFPE, que só aceitava estudantes oriundos das redes municipais e estaduais passará a aceitar os da rede federal.
Além disso, este ano toda a oferta da segunda entrada será preenchida por meio do SiSU. As inscrições começam em 1º de outubro (apenas pelo site do IFPE) e custarão R$ 20 (cursos técnicos) e R$ 50 (cursos superiores). As provas dos cursos superiores e técnicos serão realizadas em 16 de dezembro. A previsão é que no próximo dia 21 saia o edital completo com todas as informações sobre o processo seletivo.
No Vestibular 2012, o número de vagas era de 3.500 no IFPE. A oferta em 2013 para os cursos técnicos é de 5.478 vagas, sendo 3.776 na modalidade subsequente (ensino médio completo) e outras 1.702 na modalidade integrado (ensino fundamental completo). A expectativa, segundo a reitora do IFPE, Cláudia Sansil, é que haja 40 mil inscritos no processo seletivo de 2013.
Coletiva do IFPE sobre vestibular 2013 (Foto: Wanessa Andrade / TV Globo)
Coletiva do IFPE sobre vestibular 2013
(Foto: Wanessa Andrade / TV Globo)
Isenções

De 24 a 26 de setembro começa o período para pedido de isenções, que deverão ser feitas apenas presencialmente. Na ocasião, o aluno deverá apresentar os documentos comprobatórios para a análise. Segundo o presidente da comissão do vestibular do IFPE, Rinaldo Malaquias, no ano passado quem pediu isenções foi atendido. No total, houve 3 mil solicitações. Somente no campus do Recife, em 2013, haverá disponibilidade para 2 mil vagas, de um total de 4.700 disponíveis. Cada campus e polo de ensino a distância (com exceção do campus da capital pernambucana) terá 300 isenções.

No ato da solicitação do pedido de isenção, o estudante deverá levar a cópia do RG, o histórico escolar, uma conta de energia elétrica e um comprovante de renda. O resultado das isenções sai antes do início das inscrições.
Cotas

O IFPE não terá de se adaptar à nova lei das cotas racias, aprovada em agosto passado, porque, segundo Malaquias, o sistema de cotas já vem sendo adotado pela instituição desde 2006. Desta forma, 50% das vagas do vestibular do IFPE serão destinados a alunos da rede pública de ensino. A novidade é que, dentro das cotas, haverá uma espécie de "subcota". Alunos que estudam em escolas públicas da zona rural dos municípios terão 25% das vagas da cota reservadas.

Para ler mais notícias do G1 Pernambuco, clique em g1.globo.com/pernambuco. Siga também o G1 Pernambuco no Twitter e por RSS.

3° Congresso Nacional de Educação Física será realizado em Campina Grande com apoio da UEPB


Será realizado, entre os dias 27 e 29 de novembro, no Centro de Convenções Raymundo Asfora,em Campina Grande, o 3° Congresso Nacional de Educação Física (CONAEF), considerado um dos maiores eventos de Educação Física do Brasil. Podem participar alunos de graduação, pós-graduação, profissionais e pesquisadores de Educação Física, áreas de Saúde e Educação, além de demais pessoas interessadas na temática do evento.

O Congresso é promovido através de uma parceria entre a Universidade Estadual da Paraíba e outras instituições, como a Universidade Federal da Paraíba, o Centro Multidisciplinar em Estudos e Pesquisas e o Grupo de Pesquisa em Saúde e Motricidade Humana.

Com o propósito de oportunizar aos participantes uma produtiva troca de experiências, o CONAEF abordará a temática “Atividade Física, Educação e Saúde”, através de conferências, palestras, mesas redondas, minicursos e apresentações de trabalhos científicos, tendo em vista o estímulo à produção científica no âmbito acadêmico e a aproximação entre as instituições de ensino superior para a divulgação no campo científico e tecnológico.

Segundo os organizadores, importantes pesquisadores e doutores do país já confirmaram presença no Congresso, entre eles Dr. Sebastião Gobbi (UNESP); Dr. Go Tani (USP); Dra. Eliane Mauerberg de Castro (UNESP); Dr. Markus Vinicius Nahas (sócio fundador da Sociedade Brasileira de Atividade Física e Saúde – SBAFS); e Dr. Alberto José Niituma Ogata (presidente da Associação Brasileira de Qualidade de Vida. Médico / UNIFESP).

As inscrições podem ser feitas antecipadamente através do site http://www.conaef.com.br/, que também disponibiliza a programação completa do evento e normas para envio de trabalhos. Os interessados em inscrever trabalhos acadêmicos devem enviá-los até o dia 10 de outubro.